quarta 23 setembro 2020
Artigo

A infeliz busca da infelicidade

Como foi a sua semana? Passou nervoso? Primeiro, respire fundo e vamos distrair a cuca lendo algo sobre ela. Lá vem eu, novamente, com essas coisas malucas de controlar a mente. É, vamos falar mais um pouquinho da saga do fantasma, que mora pertinho da gente, ou melhor, dentro!

Tem gente que vive em busca de confusão, brigas e parece correr atrás do problema. Eu já vi situações desse tipo, várias vezes. Já pensou o que seria do mundo se todos nós conseguíssemos controlar nossos impulsos, emoções, estresses, problemas e tudo mais? Acho que viveríamos em paz, com serenidade, amor, tudo um mar de rosas, mas como não é dessa forma, porque somos humanos, ficamos nervosos, choramos, brigamos, não levamos desaforo para casa, precisamos, ao menos, tentar ter uma vida melhor para não afetar nossa saúde. É verdade, gente! Ter uma mente saudável é ter a saúde em dia. Já ouviu falar na gastrite nervosa, esse é um exemplo (rs). Vejamos as famosas frases que ouvimos ou falamos com certa frequência.

“Ah, se ele mexer comigo! Eu falo, mesmo”.

“Não vem me afrontar”.

“Eu não me calo”.

O nome da planta - “Comigo, ninguém pode”.

“Eu não tenho sangue de barata”.

“Eu brigo mesmo”.

Ohhhhhh, momentos de aplausos, mas, não, gente! Não! Pare tudo. Vamos fazer uma lavagem no cérebro. Eu pergunto: todo o estresse que você passa vai fazer mal a quem? Todo desaforo que você não leva para casa, vai fazer mal a quem? Toda briga que você tem, vai fazer mal a quem? Se você respondeu EU para todas as perguntas, não faz sentido você levar tudo a ferro e fogo nesta curta vida, não acha?

Dizem que eu tenho sangue de barata, eu falo que hoje sim, mas antigamente....eu falava muito as frases acima, mas como Deus deixou a oportunidade de termos um novo dia, vale a pena recomeçarmos, sempre que for preciso.

Um exemplo muito bacana, que levo para minha vida é o famoso raio-x que a mãe do Padre Fábio de Melo fazia quando ele era criança. Deite na cama e reflita tudo o que você fez de errado, pense o que poderia ter sido diferente, faça todos os dias para que você consiga reconhecer seus erros, mas, não se crucifique, não julgue você mesmo, reconheça a sua responsabilidade. Seja bom com seu EU, entenda que está em um constante processo de aprendizagem.

Ah, mas é muitoooooo mais fácil falar tudo isso. Sim, é! Mas estamos em um processo preparatório. Quando você vai viajar você se programa, certo? A viagem pode dar tudo conforme planejou, mas pode dar errado. Você, de qualquer maneira, precisa se programar. Dessa forma devemos tratar a nossa mente. Se conseguirmos entender e compreender a importância do EU, poderemos minimizar problemas ou confrontos, quando acontecer alguma situação de muito estresse ou qualquer coisa que nos desestabilize. Assim você terá o mínimo de conhecimento para tentar, pelo menos, respirar, colocar a cabeça em ordem e pensar antes de tomar qualquer decisão precipitada. Essa é a finalidade de preparar o nosso emocional, para que, nas piores situações, saibamos ter o mínimo de controle. Desse modo, vamos nos moldando. Não desista de você!

Caroline Guzzo

Jornalista - MTb 71628/SP

Desenvolvido por Enzo Nagata