jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

CONTRA-ATAQUE – Ao publicar portaria decretando o fechamento da agência da Receita Federal em Jales, o chefão do órgão em Brasília, Jorge Rachid, jamais imaginou que em uma semana ...

Fique Sabendo
08 de julho de 2018
Advogado Odassi Guerzoni Filho, ex-delegado da Receita Federal em Araçatuba, agiu com muito tato nos bastidores em favor da cidade natal
CONTRA-ATAQUE – Ao publicar portaria decretando o fechamento da agência da Receita Federal em Jales, o chefão do órgão em Brasília, Jorge Rachid, jamais imaginou que em uma semana com dois jogos do Brasil na Copa do Mundo, haveria uma reação tão contundente das autoridades e das lideranças comunitárias aglutinadas em torno do Fórum da Cidadania, instância formada por entidades de classe, associações profissionais, clubes de serviço e instituições filosóficas. 

BASTIDORES – O jogo começou a virar já na sexta-feira, dia 29 de junho, quando o prefeito Flávio Prandi Franco (DEM) procurou mobilizar a bancada de deputados federais com atuação em Jales, como seu mentor Rodrigo Garcia (DEM), o mais votado, Sinval Malheiros (Podemos), Fausto Pinato (PP), ao mesmo tempo em que o vice-prefeito Garça buscava contato com o companheiro de partido Baleia Rossi, líder do MDB na Câmara Federal.

JALES FOREVER – No meio disso tudo, dois outros jalesenses sem mandato eletivo entraram no circuito. De um lado, o advogado Odassi Guerzoni Filho, que foi delegado da Receita Federal em Araçatuba, onde mora, com trânsito junto ao atual delegado , Tharsis Bueno.  De outro, Jarbas Zuri Junior, que se prontificou a fazer contato com um amigo pessoal , Arlon Viana, chefe do Escritório da Presidência da República em São Paulo. 

FORÇA-TAREFA – Embora não tenha nascido em Jales e esteja trabalhando na região há pouco tempo, o procurador da República, José Rubens Plates, também fez sua parte. Inconformado com a indigitada decisão de Brasília, ele usou o espaço da sede do Ministério Público Federal em Jales, na mesma sexta-feira, para, na presença de lideranças comunitárias, ouvir a cúpula da Receita Federal em Araçatuba e colher subsídios visando a proposição de possível ação contra a medida, o que efetivamente fez mais à frente.

MARATONA – Coube ao advogado Carlos Alberto Brito Neto, conselheiro seccional da Ordem dos Advogados do Brasil, passar o fim de semana correndo atrás de números que pudessem sensibilizar os autores da portaria. Na manhã de domingo, dia 1º de julho, por exemplo, ele, um membro nato do Fórum da Cidadania e um dirigente de entidade, todos de bermudas, estavam no escritório do advogado ajustando os termos do documento que seria enviado para Brasília na tentativa de evitar o pior.   

PINTADOS PARA A GUERRA – Na segunda-feira, dia 2 de julho, o prefeito Flá e o vice Garça reuniram no salão ao lado do gabinete oficial os membros do Fórum da Cidadania, que assinaram o documento preparado no final de semana. O clima era de tensão. Não faltou quem sugerisse uma passeata de protesto.

BASTIDORES – Terminada a reunião, quando todos se retiraram, o prefeito convocou às pressas ao seu gabinete, onde já estava a oficial de gabinete Nilceli, secretário de Administração, Chico Melfi, para acessar o endereço eletrônico da Secretaria da Receita Federal em Brasília e repassar o documento do Fórum da Cidadania, com cópia para o já citado Arlon Viana, em São Paulo.

 URNA- Além de Estância Turística, Santa Fé do Sul ganhou outro título (pelo menos por um ano) — o de capital do Distrito 4480 do Rotary Clube de Jales. Na noite de 30 de junho foi empossado governador do Distrito Rotário o médico Luís César Rodrigues, cuja esposa, Cícera Alves, assumiu a Coordenação Distrital das Casas da Amizade (matéria completa na página 2-6). 

URNA (2)- Representantes de 67 clubes oriundos de 49 cidades prestigiaram a posse de Luís César. Mas, não passou despercebida a presença de nomes que estarão em rota de colisão por conta das eleições. Lá estiveram os deputados estaduais Itamar Borges (MDB) e Carlão Pignatari (PSDB), o pré-candidato a deputado estadual Edson Filho (MDB) e seu pai Edinho Araujo (MDB), prefeito de São José do Rio Preto, além do ex-jogador Luizão (PRB), pré-candidato a deputado federal.

BATUTA – No melhor estilo “quem vê de fora vê melhor”, o maestro convidado  Luís Fernando Paina, de Fernandópolis, em intervalo do Concerto Solidariedade , Saúde e Música, da Santa Casa,  rasgou elogios à administração municipal Flá/Garça  pelo apoio dado ao colega Edivaldo de Paula, maestro regente da Orquestra Sinfônica de Jales,   grupo formado por 57 músicos de formação erudita. O maestro fernandopolense disse com todas as letras: “com este apoio dado pela administração municipal, Jales é exemplo para o Brasil”.

CHAMADA – Flá, que não estava na cidade, foi representado pelo secretário de Administração, Chico Melfi. Quanto à Câmara Municipal, dos 10 vereadores, só Chico do Cartório (MDB) e Tiago Abra (PP) compareceram e prestigiaram. Chico chegou a gravar o concerto.