quarta 14 abril 2021
Entrevista da Semana

“Os passos até uma delegacia são os mais longos na vida de uma mulher”

Bacharel em Direito pela Universidade Estadual de Londrina, especialista em Direito Penal e Criminologia pela Uninter, a jalesense Fernanda Martins de Lima, 30 anos, está fazendo trabalho relevante como titular da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher em Formosa-Goiás. Idealizadora do Projeto “OAB por elas” e de outras iniciativas de grande repercussão, ela já recebeu título de cidadania, foi homenageada ela Assembleia Legislativa de Goiás e, terça-feira, dia 10, receberá a Comenda Berenice Teixeira Artiaga outorgada pelo Poder Legislativo em alusão ao Dia Internacional da Mulher. Ela foi ouvida pelo Jornal de Jales... (D.R.J.)

J.J. - Por que você escolheu a carreira policial?
Delegada Fernanda - Ter a possibilidade de atender, acolher e ajudar pessoas em momentos tão difíceis de suas vidas foi o principal motivo pelo qual escolhi a carreira policial. Além disso, a ausência de rotina, os desafios constantes e a possibilidade de fazer parcerias, projetos e lidar com problemas sociais relevantes são pontos que avaliei ao decidir me tornar policial, profissão que exerço com orgulho há seis anos.
 
J.J. - Você teve algum obstáculo para se impor como delegada de polícia em ambiente predominantemente masculino?
Delegada Fernanda - Não tive obstáculo ou dificuldade em ser mulher e Delegada de Polícia. Ainda que o ambiente de trabalho seja predominantemente masculino, existe respeito entre todos, por parte dos colegas de profissão e também daqueles que chamam pelos nossos serviços.
 
 J.J. - As mulheres vítimas de agressão sentem-se mais à vontade em relatar seus problemas a uma Delegada?
Delegada Fernanda - Costumamos dizer que os passos até uma delegacia são os mais longos na vida de uma mulher. É preciso coragem e apoio para que a vítima tome a decisão de romper o ciclo de violência em que se encontra inserida. 
 Sabemos também que os autores de violência doméstica são as pessoas mais próximas destas mulheres: são parceiros íntimos ou familiares, pessoas em quem elas confiam ou confiaram por algum tempo. Assim, garantir um espaço acolhedor na Delegacia da Mulher é fundamental para auxiliar a mulher que procura nossos atendimentos, fazendo-a sentir-se mais à vontade para contar as suas histórias pessoais, marcadas, na maioria das vezes, de dor, culpa e sofrimento. Grande parte das vítimas relata que se sentem mais a vontade ao ser atendidas por mulheres policiais, mas esta não é uma regra absoluta. Temos excelentes policiais do sexo masculino que também oferecem um atendimento humanizado e uma escuta qualificada.
 
J.J. - Qual é o maior problema que você lida no dia-a-dia da Delegacia de Atendimento à Mulher?
Delegada Fernanda - Nossa principal dificuldade é romper com um raciocínio resistente de segurança pública e persecução penal que envaidece pessoas, separa e rivaliza instituições e torna a percepção de justiça mais distante do cidadão. Por isso, tivemos iniciativas que derrubaram muros institucionais, nos despimos de vaidades profissionais ao assumir um compromisso voltado à apuração e repressão de crimes com rapidez e eficiência.
 
 J.J. - Você estabeleceu alguma parceria com outros órgãos de Formosa? Em caso positivo, como funciona...
Delegada Fernanda - A Delegacia da Mulher se estabelece em parceria com vários órgãos, contando com a Polícia Militar (Patrulha Maria da Penha), a assessoria em gestão do Corpo de Bombeiros Militar, a amplitude da Rede Municipal de Assistência Social e Saúde, o envolvimento de acadêmicos de instituições de ensino superior, além da disponibilidade social da Ordem dos Advogados do Brasil (Projeto OAB POR ELAS).
 
J.J. - Os projetos desenvolvidos em sua Delegacia já estão repercutindo em outras cidades ou Estados?
Delegada Fernanda - As ações da Delegacia da Mulher têm ganhado destaque, tendo sido apresentadas, inclusive, em evento promovido pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, no mês de agosto de 2019.
Além disso, o projeto OAB POR ELAS, lançado de forma pioneira por nós em 2016, consolida a parceria da DEAM com a OAB local e oferece orientação jurídica gratuita disponível a centenas de milhares de mulheres em vários Estados e Municípios. Para saber mais sobre o projeto e como levá-lo para outras Cidades, basta acessar o instagram oficial: @oabporelas.
 
J.J. - Nos últimos tempos, você tem recorrido às redes sociais para divulgar informações sobre as questões relativas à mulher. Tem havido boa repercussão?
Delegada Fernanda - As redes sociais conectam e aproximam pessoas de todo mundo, e são as principais ferramentas utilizadas por elas para se atualizarem e manterem contato com os amigos. 
Desde o ano passado, passei a divulgar vídeos informativos, que orientam homens e mulheres dos seus direitos, tratando de temas variados, como violência doméstica, dicas para segurança pessoal em festas populares, além de temas polêmicos e que precisam ser discutidos como: importunação sexual e pornografia de vingança. A repercussão tem sido positiva e tem gerado ótimas discussões.
Os assuntos abordados provêm das demandas que recebo diariamente na própria delegacia, e todos os vídeos podem ser acessados nas páginas do Instagram/Facebook/Youtube: basta procurar pelo perfil @fernandadelegada.

Desenvolvido por Enzo Nagata