quarta 23 setembro 2020
Geral

Urbanismo Tático como ajuda ao Comércio

Por Thiago Nossa Neto

Mesmo antes da pandemia da COVID-19, o comércio varejista já vinha enfrentando dificuldades que são conhecidas, não apenas devido ao contexto econômico adverso e à estrutura burocrática do país, mas também a concorrência das vendas online, dos grandes shopping centers e galerias comerciais.

As áreas comerciais das cidades brasileiras geralmente são muito carentes em termos de espaço urbano de qualidade para a população. A maioria das pessoas não passam o dia inteiro nas ruas do comércio, pois a tendência é apenas consumirem o mais rápido possível e ir embora em seguida, uma vez que o espaço público atual não é convidativo para uma permanência mais duradoura. Já nos grandes shoppings, o tempo de permanência é maior devido ao fato do local ser mais urbanisticamente agradável e confortável, e isso gera para o shopping um maior potencial de consumo realizado por elas. Já as compras online que vêm aumentando no Brasil, terão um salto ainda maior após o COVID-19, pois o fator preço é o grande diferencial e por isso há a necessidade de o comércio de loja física oferecer uma experiência diferenciada que estimule as pessoas a comprarem mais na própria cidade.

O comércio varejista está limitado a investir na própria loja e na capacitação dos seus funcionários uma vez que a melhoria do espaço público está sob domínio do próprio poder público. Vale ressaltar que existem várias maneiras de melhorar este espaço. Conhecido como urbanismo tático, é a prática e movimento urbanístico de intervenção urbana rápida e pontual, que vem ganhando atenção em grandes e pequenas cidades no Brasil e no mundo e que poderia ser adotada como um instrumento de política de desenvolvimento urbano em Jales.

VIABILIDADE

É uma intervenção urbana flexível e temporária, porém em muitos casos transforma-se em algo fixo e permanente. O custo é baixo, e essa é uma das razões da sua fácil implementação em qualquer espaço urbano. É muito utilizado para pequenas intervenções, desde na melhoria de um cruzamento na periferia de São Paulo ou na cidade de Sorocaba, ou o redesenho de espaço público em Fortaleza e um calçadão em Juiz de Fora até um grande cruzamento de tráfego intenso em Milão, Itália. E por que Jales ficaria de fora?

Deste modo, um projeto de urbanismo tático em Jales visaria fortalecer o potencial do comércio existente no centro e bairros da cidade cujas áreas possibilitem a melhoria da experiência dos usuários no local de modo que seja convidativo a permanência das pessoas por mais tempo. Assim, não somente contribuindo com a criação de um espaço público de qualidade, mas também o comércio seria o grande beneficiário, visto que aumentaria o tempo de permanência e o número de pessoas circulando naquele espaço, o que consequentemente tende a impactar no aumento das vendas pelo comércio local e resultando na geração de empregos. A venda de uma loja não começa dentro da loja, mas sim na calçada.

Portanto, a recuperação e fortalecimento do comércio existente no centro e bairros de Jales são vitais para o setor varejista e para a economia de nossa cidade. Além disso, será muito importante no momento pós-COVID-19 e de abertura total do comércio. O urbanismo tático possibilita criar condições para que o espaço público seja convidativo, logo, contribuindo com o aumento da permanência de pessoas, e assim também possibilitando a ampliação das vendas pelo comércio local e consequentemente a geração de empregos e renda em Jales.

Thiago Nossa Neto

(Voluntário no Instituto Tri (São José do Rio Preto) e Mestre em Práticas de Desenvolvimento Urbano pela Universidade de Queensland /Austrália)

Desenvolvido por Enzo Nagata