domingo 20 junho 2021
Polícia

ALERTA À POPUÇAÇÃO – IV: Criminosos utilizam nomes de grandes empresas para criar sites falsos

Sites são desenvolvidos com layout parecido com lojas originais para fazer vítimas

A quarta matéria da série de alerta à população da Delegacia Seccional da Polícia Civil de Jales traz como assunto principal os sites de comércio eletrônico fraudulentos que vem fazendo ainda mais vítimas durante a pandemia.

O Procon-SP ressalta que criminosos utilizam do nome de grandes empresas, criam páginas com layout parecido com o das lojas originais e o site chama a atenção dos internautas por oferecer produtos com preços abaixo do que é praticado no mercado, ainda mais em época de “Black Friday”.

O GOLPE

Nessa modalidade, o golpista cria uma página na internet muito semelhante à verdadeira, levando a vítima a acreditar que está efetuando uma compra legítima. Após selecionar os produtos e efetuar o pagamento, a vítima não recebe a mercadoria, quando então percebe que “caiu em um golpe”.

Para aumentar as chances de sucesso, o estelionatário utiliza artifícios, tais como: envio de spams, oferta de produtos com valor abaixo do valor de mercado, propagandas através de links patrocinados, dentre outros.

Além do comprador, as empresas que tiveram seus nomes utilizados indevidamente, ou ainda, as pessoas que tiveram seus dados utilizados para criação do site ou para a abertura de “empresas fantasmas”, também são vítimas.

COMO EVITAR

Algumas dicas são indispensáveis, para que possamos ter a certeza que estamos fazendo uma compra legítima, com segurança:

a) Procure utilizar terminais (computador, smartphone, tablet) que sejam seguros;

b) Leia atentamente as informações dos sites e do produto que deseja comprar. Normalmente, sites fraudulentos podem conter erros de português ou ainda sobre as informações técnicas do produto. Verifique também se há CNJP cadastrado na página ou canais de comunicação;

c) Faça uma pesquisa de mercado do valor do produto que deseja adquirir. Desconfie de preços muito baixos;

d) Realize pesquisas na internet para obter informações a respeito da reputação do site em que deseja efetuar compras. Essas informações podem ser obtidas através do Reclame Aqui ou de redes sociais. É possível ainda verificar a lista de sites reprovados, disponibilizada pelo Procon (https://www.procon.sp.gov.br/).

e) Verifique se o site é seguro, localizando o ícone de um cadeado, ao lado do endereço do site (URL). Ao clicar no cadeado, será exibido o certificado de segurança da página;

f) Evite clicar em links que direcionam a navegação diretamente ao site de compras. Ao invés disso, prefira digitar o endereço do site (URL) junto à barra de endereço de seu navegador. Atenção: os sites fraudulentos geralmente possuem o endereço muito semelhante ao site verdadeiro. Exemplo: www.americanas.com.br (site verdadeiro) e www.lojasamercanas.com.br (site falso – exemplo fictício). Note que no exemplo do site falso foi incluído o nome “lojas” e a letra “i” do nome “americanas” foi suprimida.

 FUI VÍTIMA,

O QUE FAZER?

a) Verifique se o site ainda está ativo e copie seu endereço (URL);

b) Faça um print da página e do produto anunciado;

c) Providencie uma cópia do boleto ou dados bancários utilizados para o pagamento, bem como do comprovante do pagamento;

d) Em posse de todas essas informações, procure a Delegacia de Polícia mais próxima de sua casa ou rregistre um Boletim de Ocorrência Eletrônico através do site da Delegacia Eletrônica https://www.delegaciaeletronica.policiacivil.sp.gov.br/ssp-de- cidadao/home na opção OUTROS CRIMES.


Desenvolvido por Enzo Nagata