Polícia

CERCO POLICIAL - Policiais ambientais flagram pesca irregular, cortes de árvores e até ladrões de milho

No último final de semana, a Polícia Militar Ambiental realizou várias autuações na região, que vão desde pesca irregular à furto de milho. Tudo começou no dia 5 de fevereiro, durante policiamento náutico na represa Ilha Solteira, bairro rural do Córrego Água Vermelha, em Ouroeste.

Os policiais flagraram quatro indivíduos nas margens da represa realizando pesca a menos um quilômetro da jusante da Usina Hidrelétrica de Água Vermelha, local este que é proibido a pesca em qualquer modalidade.

Os pescadores foram abordados e com eles foram apreendidos 16,7 quilos de peixe proibido de pesca por ser período de piracema. Além disso, os quatro indivíduos foram multados em R$6.268,60 cada.


PALMEIRA D’OESTE

No dia seguinte (06), policiais ambientais constataram diversas irregularidades em uma propriedade rural em Palmeira D’Oeste, mais especificamente nas proximidades do córrego Macumã.

Durante a fiscalização do local, foi constatado que 14 árvores estavam com perfurações nos troncos com a presença do veneno “Tordon”, utilizado para erradicação de vegetação indesejável.

Os policiais flagraram também que foi realizado cortes de árvores em 0,35 hectares dentro de Área de Preservação Permanente (APP), 0,13 hectares fora da APP e mais seis árvores nativas cortadas sem autorização de órgão ambiental competente.

As áreas da propriedade rural foram embargadas e o responsável foi multado em R$7.050,00 por crime ambiental.


FERNANDÓPOLIS

No domingo, dia 7, policiais ambientais durante patrulhamento pela estrada rural que liga Fernandópolis à Meridiano (Estrada CAIC), flagraram dois indivíduos praticando furto de milho em uma propriedade rural próximo ao Córrego das Pedras.

Os homens foram abordados e presos, sendo conduzidos juntamente com o milho furtado a Central de Polícia Judiciária de Fernandópolis. No Plantão Policial, foi dada a voz de prisão aos infratores, que permanecem à disposição da justiça.


RIOLÂNDIA

Também no domingo (07), três pescadores foram multados em R$944,90 cada por estarem praticando pesca irregular em Riolândia.

De acordo com a Polícia Ambiental, os pescadores estavam em um batelão (embarcação de fundo chato e coberta, com pequeno calado própria para operação próxima às margens) e já haviam capturado 12,2 quilos de Piauçu, espécie de peixe que está proibida no período de piracema.

Alguns peixes estavam vivos e foram soltos no Rio Grande. Já os sem vida foram doados à uma instituição filantrópica. Também foram apreendidos três caniços de carbono e um molinete.